domingo, 8 de abril de 2012

Heterofobia: uma tragédia anunciada!



Por Juçara Menezes //

Senhoras e senhores, não trago boas novas.

Tenho lido com frequência a expressão ‘heterofobia’ que seria, em análise ao termo ‘fobia’ (medo, aversão a algo ou a alguém) com ‘hetero’ como união (sexual e afetiva) entre um homem e uma mulher. Seria a aversão aos héteros.

Ressalto aqui, logo no comecinho para que ninguém venha falar bobagens depois: não sou psicóloga, mas lésbica que sofre com ataques quase diários por ser gay e, portanto, apta a falar sobre o que é perseguição de fato.

A tal heterofobia trata-se de uma tragédia que anuncio com muito pesar.

Com este ‘argumento’, os homofóbicos (e não estou falando apenas dos héteros porque há sim gays que são homofóbicos) estão dizendo que os estamos perseguindo; que em pouco tempo será ‘errado’ ser hétero; que ter desejo, sendo homem por uma mulher e sendo mulher por um homem, será considerado uma afronta à sociedade.

Gente, me poupe. A homofobia é caracteriza pela violência, física e/ou emocional, realizada por gente que não entende (ou entende, mas não quer saber) contra pessoas comuns, cuja única diferença é gostar de pessoas do mesmo sexo.

Trata-se de espancar uma lésbica por gostar de usar tênis ao invés de salto alto, de matar homens que preferem falar fino, de mandar a todos pro Inferno pelo amor que sentimos ‘não ser de Deus”.

E eles estão chegando cada vez mais, devagar e sempre, com esta estória da carochinha que quando impusermos a ‘ditadura gay’ (sim, tem mais esta estupidez), quem ama um homem por ser mulher será morto na esquina.

Até parece: o mundo tem histórico de gays que matam héteros!! Essa é pra acabar... É dizer o mesmo que o Holocausto, uma das maiores covardias que se tem notícia (e pelo qual me entristeço sempre) nunca existiu!
Somos um povo pacífico, aloooooow!!

Quando nos metemos em brigas (muito poucas, por sinal) raramente atentamos contra os héteros. Aliás, nós preferimos o arco-íris, os risos, deixar as mulheres mais bonitas para os homens e inventar designers mais arrojados para que eles fiquem na moda – tecnológica, inclusive.

Aí vem mais um leso e diz: É preciso que se crie urgentemente centros psiquiátricos para internar e tratar da Heterofobia (Fobia do Sexo Oposto). Ou seja, querem internar os poucos gays que não gostam de ouvir ameaças constantes - mas nem por isso saem gritando: "héterozinho de m..., você vai pro inferno!! Deus num te quer!!". Opa! Eu já vi esse filme!! Até 1979 (o ano em que nasci), o homossexualismo era considerado doença mental, tratada veementemente com choques elétricos!!

Vou parar por aqui só por uma questão de tamanho de texto mesmo.

De mais a mais, é esperar mais este futuro sombrio, que considero um outro nome para nazismo.

“Mentes abertas, almas livres”

Obs: Escrevi este texto na época em que recebi ameaças virtuais muito sérias (porque as que convivo já nem dou muita bola), chegando ao ponto de um 'anônimo' dizer que descobriria onde eu moro para me 'ensinar direitinho o que é o certo e o errado'. É claro que tive medo, fiquei até doente, e deixei um pouco de lado os textos do True Colors. Mas essa do Orgulho hétero de hoje no Trendis do Twitter mundial veio para acabar!

Fonte:http://pulganafarinha.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...