terça-feira, 10 de abril de 2012

Homossexual inglês reivindica redução da idade de consentimento sexual para 14 anos

Esta notícia é tão absurda que nem sabia por onde começar.

Primeira pergunta é: porque é que um homossexual está tão interessado em reduzir a idade de consentimento? Os homossexuais em regra geral não tem experiência nenhuma com crianças, portanto, como é que eles sabem o que é melhor para as mesmas?

Ou será que há por trás desta exigência algo macabro escondido?

LONDRES, Inglaterra, 1 de setembro de 2010 (Notícias Pró-Família) — Um dos principais ativistas homossexuais da Inglaterra de novo reivindicou a redução da idade de consentimento sexual de 16 para 14, dizendo que isso reduzirá os incidentes de abuso sexual de jovens.
Por outras palavras, a solução para se reduzir os incidentes de abuso sexual de jovens é.... parar de chamar a isso de "abuso sexual" e legalizar a prática. Seguindo esta lógica, e como medida para se reduzir o crime de furto, eu proponho que se qualifique a propriedade privada de "propriedade de todos os portugueses". Desta forma se um português roubar a outro português, o que está a acontecer não é bem um furto mas só uma transferência de um bem de uma mão para a outra.

O que o activista homossexual está a dizer é

  • Há homens que tem sexo com crianças de 14 ou 15 anos, e isso é, de acordo com a lei, abuso de menores. Como forma de acabar com o abuso sexual de crianças com 15 ou 14 anos, eu proponho que paremos de chamar a isso de abuso sexual.
Será que isso vai reduzir o abuso de crianças com 14/15 anos? Não; apenas vai trazer essa prática para dentro da lei. O argumento dos esquerdistas vai ser então "Se é legal, então não há problemas com isso!".
Peter Tatchell, fundador do grupo OutRage! (Revolte-se!), escreveu no site Big Think, “Quer gostemos ou não, muitos adolescentes têm sua primeira experiência sexual por volta da idade de 14 ou 15.”
Quer gostemos ou não, há mulheres que são espancadas pelos maridos. Quer gostemos ou não há raparigas que são abusadas pelos seus próprios namorados. O facto de certas coisas acontecerem não é base para se chamar a isso de "normal" ou mudar a lei para acomodar essa prática.
Se quisermos proteger os jovens, e eu quero, o melhor jeito de fazer isso é não os ameaçando de prisão, mas dando-lhes educação franca e de alta qualidade envolvendo sexo e relacionamentos sexuais, inclusive para crianças bem novas.
As crianças "bem novas" não estão prontas para lidar com as ramificações físicas, psicológicas e emocionais do acto sexual., e isto não devido à falta de "informação" mas sim pela natureza do acto. Este homem não está interessado na saúde mental e no bem estar das crianças mas sim em legalizar o sexo com crianças de 14 anos.
Isso inclui dar a eles mais permissões e autoridade, com treinamento, conhecimento e confiança para dizer não aos avanços sexuais indesejados e denunciar abusadores sexuais. Em comparação com a abrangente criminalização de menores de idade sexualmente ativos, essa estratégia de dar permissões é um jeito mais eficiente de proteger os jovens de pressões dos amigos e dos pedófilos”.Uma idade de consentimento mais elevada realmente coloca adolescentes mais jovens em maiores riscos de abuso “ao reforçar a ideia de que jovens abaixo de 16 anos não têm direitos sexuais”, Tatchell disse.
Não ficou definido o que são "direitos sexuais" quando se fala de crianças de 14 anos, mas estou certo que este homossexual sabe o que isso é - melhor que os pais da criança.
Eles dão o sinal de que um jovem não tem a capacidade de fazer uma escolha racional e moral sobre quando ter sexo.
Se calhar porque......crianças de 14 anos não estão prontas para lidar com a emotividade envolvida na prática sexual.
Culpa e vergonha sobre sexo também aumentam a probabilidade de abuso sexual ao incentivar a malícia e o segredo em que se desenvolve o abuso”, ele acrescentou.
Totalmente falso. O abuso não se desenvolve em meios onde há "culpa e vergonha" mas sim entre pessoas que achem que crianças de 14 anos a terem relações sexuais com adultos (que é o que este homossexual tem em mente) é "normal" uma vez que a criança tem "direitos sexuais".
"Apesar do que os puritanos e odiadores do sexo dizem, sexo entre menores de idade é em grande parte feito de forma consentida, segura e divertida”, Tatchell disse.

Por "odiadores do sexo" e "puritanos" leia-se "pessoas que acham que adultos a terem relações sexuais com crianças de 14 anos está errado."
“Se danos são provocados, geralmente não é como consequência do sexo em si, mas por causa de abuso emocional dentro de relacionamentos e por causa de sexo inseguro, que pode transmitir infecções e engravidar meninas novas quando elas não estão preparadas para ser mães”.
Ou então devido a carga emocional que é inerente ao acto sexual. Mas isto é algo que este homem não quer levar em conta uma vez que isso vai contra a sua agenda sexual.
OutRage! está há muito tempo fazendo pressão política em prol da redução da idade de consentimento na Inglaterra, onde a idade já havia sido reduzida para atos homossexuais da idade de 21 em 1994 e de novo em 2000 para 16, depois de intensa pressão política de ativistas homossexuais.
Portanto chegamos ao busílis de toda argumentação: o lobby homossexual não se preocupa com a saúde mental e física da criança de 14 anos mas sim com os seus próprios interesses pervertidos. O seu "forcing" para diminuir a idade de consentimento tem mais a ver com a sua práctica sexual do que com o que as crianças querem. No entanto, eles (os homossexuais) sabem que a sociedade não veria com bons olhos que eles forçassem o sexo entre homens com crianças de 14 anos, portanto colocam a questão dentro do "sexo entre jovens", como se esse fosse o seu verdadeiro interesse.
Carolyn Moynihan, jornalista de Auckland com um interesse pessoal em questões de família, respondeu na Mercatornet, dizendo que é “um pouco surpreendente” que Tatchell tenha feito a sugestão na época em que fizer parte de uma manifestação contra o Papa Bento, ao qual ele acusa de não proteger jovens de predadores sexuais.
Sim, a contradição dos esquerdistas é flagrante. Acusam a igreja católica de não proteger as crianças dos predadores sexuais (na sua esmagadora maioria, homossexuais) no entanto querem legalizar o sexo com crianças de 14 anos.
Moynihan disse: “É claro que sempre haverá menores de idade que têm sexo, mas isso não significa que a lei deveria fazer vista grossa. Sexo é uma parte muito complicada da conduta humana que é complexa demais para os jovens entenderem”.

Ela citou estudos que mostram que os jovens, principalmente as meninas, que têm sexo muito cedo muitas vezes lamentam. Ela cita David Lindsay, colunista do jornal Daily Telegraph, dizendo: “O sexo é para pessoas que sabem como lidar com as consequências, físicas e outras. Numa palavra, adultos”.

Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com

Fonte: http://noticiasprofamilia.blogspot.com

Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/ldn/2010/sep/10090110.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...