domingo, 8 de abril de 2012

Heterofobia

mordaca

Parafraseando o presidente Lula “nunca antes na história deste País” se ouviu falar tanto de temas ligados a questão homossexual. Reportagens especiais na TV, matérias nos jornais e revistas, novelas e programas de entretenimento destacam e tentam “empurrar goela abaixo” a naturalidade de “sair do armário” e as conquistas do público gay. Parece até coisa “orquestrada” para sensibilizar a opinião pública e influenciar a aprovação do (PLC 122/2006) conhecido como “Lei da mordaça gay” que está tramitando no Senado Federal.

Como verdadeiros protestantes, o Pr. Silas Malafaia e o blogueiro Julio Severo não se omitiram e corajosamente questionam publicamente o absurdo projeto que pretende tornar crime a discriminação por orientação sexual e identidade de gênero. Se virar Lei, sacerdotes, líderes religiosos e defensores da família tradicional poderão ser censurados, processados e até presos por discordarem de práticas biblicamente condenáveis. Serão considerados “preconceituosos, intolerantes, racistas, homofobicos”. A “ditadura gay” que está prestes a ser instalada é um atentado a liberdade de expressão e criará uma espécie de “casta privilegiada” no Brasil. O projeto pretende equiparar a discriminação contra os homossexuais ao preconceito de cor, raça e religião.

Em matéria publicada na última segunda-feira aqui no Diario, o batista Pr. Ney Ladeia destacou que o combate à violência contra os homossexuais é um pretexto do projeto. “Considero claramente inconstitucional, porque cerceia a liberdade de opinião. Qualquer pessoa pode criticar um pastor, um presidente da República, um vizinho, mas não pode criticar um comportamento homossexual?”, indagou. Na mesma matéria o bispo anglicano Robinson Cavalcanti disse: “os avanços práticos do princípio da isonomia e da dignidade da pessoa não podem, nem devem incorrer em riscos de tiranias, nem de maiorias sobre minorias, nem de minorias sobre maiorias. Os povos têm uma história, uma cultura e costumes, este último também uma fonte de direito. Conceitos e preceitos não são preconceitos”, afirmou. Para Dom Robinson está havendo uma “inquisição às avessas”, com o apoio de normas e sanções, “criminalizando e penalizando os que pensam e agem de modo diferente”. Na verdade o projeto é heterofóbico e contrário ao pleno exercício constitucional da liberdade religiosa.

Protesto em Brasilia contra a Mordaca GayVocê sabia? // Que Pernambuco possui uma Frente Parlamentar pela Cidadania LGBT formada por vereadores, deputados estaduais e federais? Que os cartórios civis do Estado foram orientados a liberar escritura pública de união estável para casais homoafetivos? Que a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) publicou súmula normativa no Diário Oficial que obrigará Planos de Saúde a aceitar parceiros do mesmo sexo como dependentes? Que no final do ano passado o governador Eduardo Campos criou uma Assessoria Especial da Diversidade Sexual para tratar de assuntos ligados ao público LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais)?

E tem mais // A revista Veja desta semana destacou em sua capa a matéria “Ser jovem e gay – A vida sem dramas”. Na última quarta-feira o depoimento exibido no término da novela “Viver a Vida” foi de um homossexual que, junto com seu parceiro, tinha conseguido na justiça adotar uma criança. O cantor gospel Emanuel de Albertin e o compositor Toinho de Aripibu estão sendo acusadosde preconceito, discriminação e homofobia. Tudo por conta da letra da música (Adão e Ivo) que diz: “a cada dia multiplica a iniquidade, sinceramente isso me deixa pensativo, se Deus tivesse feito homem pra casar com outro, não seria Adão e Eva, tinha feito Adão e Ivo”.

http://www.diariodepernambuco.com.br/2010/05/15/urbana14_0.asp

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...